A Bagagem

Um caminho e uma estrada diante dos meus olhos. Atrás de mim, passos que deixaram marcas e talvez uma história. Bonita, feia, alegre ou triste, depende da perspectiva de quem a vê.

Tanto esforço dispensado em “realizações” que não chegaram a concretizar-se de fato. Lágrimas deixadas pelo caminho, e que foram suficientes para regar os terrenos por onde pisei. Ao olhar novamente, vejo o oásis criado com cada gota delas.

Nas esquinas e curvas desta história, me vi tateando no escuro, segurando bengalas que de alguma forma, me mantinham de pé.

Uma música…

Lembranças de canções que fizeram parte desta trajetória. A trilha sonora que por vezes tomava os pensamentos, insistindo em recitar melodias e letras incertas, de autores incertos ou apenas desconhecidos.

Os perfumes…

Ah, como os perfumes trazem cenas, momentos, pessoas e saudades. Água na boca e hipnose pelo aroma que saía da cozinha, às 12h de uma terça-feira. O cheiro do jardim tão florido e ao mesmo tempo tão confuso em meio a cores, flores, perfumes e movimento.

Enquanto os pés tocavam o solo repleto das flores, o calor do sol queimava, castigando os ombros descobertos.

Do ponto de vista de onde estou, consigo lembrar-me de tudo ao olhar para os calos em minhas mãos, as marcas no rosto e em meus braços. E, além das marcas, carrego uma bagagem.

Trago nela, mais do que uma reserva de lágrimas, mais do que bengalas, mais do que músicas ou perfumes. Trago nela, lembranças, recordações, e, a assinatura de uma história!

Sim, uma história…

Por mais que eu tente esquecê-la ou mesmo negá-la, não há como ser apagada. Não posso negar fatos, por mais dolorosos ou tristes que pareçam. As marcas falam por si mesmas.

Mas, apesar das marcas e dores, há alguém que entende o que isso realmente significa. Apenas uma pessoa sabe sentir cada melodia, compreender cada lágrima e reconhecer cada perfume. Alguém tão íntimo, que o simples mencionar o nome embarga a minha fala.

Toda essa bagagem deixarei aos pés dEste que pode continuar a escrever uma história que eu persistia em escrever “sozinho”.

Vejo agora, Seu dedo em cada detalhe.

Mais que uma bagagem, simbolizo aqui, a minha entrega.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei… Porque… o meu fardo é leve.” Mt 11.28, 30b

Diogo Andrade
Um Jovem em Recuperação

Anúncios

Sobre blogcrjovem

Blog CR Jovem - Proibido Pessoas Perfeitas
Esse post foi publicado em Blog CR - Jovem, Devocional, jovens celebrando sua recuperação, Testemunho. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para A Bagagem

  1. Danielle disse:

    …rs

    Nostalgico! Poder lembrar tantas coisas boas e até mesmo ruins… mas melhor saber “Alguém tão íntimo, que o simples mencionar o nome embarga a minha fala” q este DEUS nos aceita da maneira q somos e continua ao nosso lado nesta trajetória…
    Saber q em todo tempo ELE estará lá de braços abertos!
    T agradeço DEUS q no deserto não me deixou morrer e nem desanimar… é como aquela mãe q não desiste VC não se esqueceu vc insiste… T AMO JESUS!
    Di, se sabe q vc na minha vida seja é pra sempre : ) AMIGO PRA TODA VIDA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s